Bloco Principal 1

Jornalista que ganhou causa contra Trump por agressão sexual volta a processá-lo

 

A jornalista E. Jean Carroll, a quem Donald Trump foi condenado a pagar US$ 5 milhõesm cerca de R$ 25 mil, por uma agressão sexual em 1996, voltou a processar o ex-presidente americano, na segunda-feira (29), por difamação, devido a declarações feitas pelo republicano após a sentença contra ele.

“Está louca”, disse Trump sobre E. Jean Carroll na rede de TV CNN, no dia seguinte à sentença unânime, ditada em Nova York, no último dia 9, por um júri formado por nove cidadãos.

O candidato às primárias republicanas para as eleições presidenciais de 2024 repetiu na TV que não conhecia a ex-jornalista da revista “Elle” e chamou o assunto de “invenção”.

A nova denúncia se baseia em declarações feitas por Trump “após o veredito, que mostram a extensão de sua malícia em relação a Carroll”, afirmou a advogada Roberta Kaplan, cuja cliente tem o objetivo de “punir Trump e dissuadi-lo de outros atos de difamação”, além de “dissuadir outras pessoas de fazerem o mesmo”.

Na véspera da transmissão pela CNN, o júri considerou o ex-presidente (2017-2021) civilmente responsável por agressão sexual contra E. Jean Carroll, que o acusou de tê-la estuprado no provador de uma loja de roupas íntimas, em Nova York.

O júri também considerou Trump responsável por difamação, por declarações de 2022, e o condenou a pagar um total de US$ 5 milhões à vítima, decisão da qual recorreu.

A nova ação foi movida no âmbito de um processo em andamento por ações cíveis anteriores desde 2019, também por difamação, movidas por E. Jean Carroll.

R7

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
slot gacor hari ini
situs slot luar negeri