Bloco Principal 2Policial

Após fuga, Lewandowski afasta direção da penitenciária de Mossoró

Após a fuga inédita de dois presidiários, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, afastou na noite desta quarta-feira (14) a direção da penitenciária de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Deibson Cabral Nascimento (33) e Rogério da Silva Mendonça (35) escaparam do presídio de segurança máxima de Mossoró às 3h17 da madrugada, apurou a CNN. Os fugitivos escalaram uma das luminárias, tiveram acesso ao teto, cortaram a cerca e pularam. Ao contrário da penitenciária de Brasília, o presídio de Mossoró não tem uma muralha para contenção.

Os investigadores trabalham com a possibilidade de falha humana ou cooptação. Isso porque ainda não há respostas sobre como eles atravessaram pelo menos 3 portas – cela, corredor e pátio – e como burlaram o circuito fechado de câmeras de TV.

Dois presos fogem do presídio de segurança máxima de Mossoró (RN)
Rogério Mendonça (à esq.) e Deibson Nascimento (à dir.) fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) / Ministério da Justiça e Segurança Pública

Outras medidas

Mais cedo, Lewandowski mobilizou ao menos 100 agentes federais para trabalhar na captura dos fugitivos. O ministro também destacou a ida do secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, para a “apuração presencial dos fatos e a tomada das ações cabíveis no âmbito administrativo”.

Lewandowski também informou que as Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que reúnem agentes federais e estaduais, trabalham para localizar e prender os foragidos.

Segundo o comunicado da pasta, os nomes dos fugitivos também foram incluídos no Sistema Difusão Laranja, da Interpol, que tem por objetivo alertar autoridades de outros países sobre os riscos iminentes à segurança pública e no Sistema de Proteção de Fronteiras, o que indica que as polícias de outros países possam procurar pelos criminosos.

Veja íntegra da nota das medidas de Ricardo Lewandowski

1. Determinou a ida do secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia, a Mossoró, acompanhado de uma equipe de seis servidores, para a apuração presencial dos fatos e a tomada das ações cabíveis no âmbito administrativo.

2. Acionou a Direção-Geral da Polícia Federal para abertura de investigações e o deslocamento de uma equipe de peritos ao local, com objetivo de apurar responsabilidades e de atuar na recaptura dos dois fugitivos, ação que já conta com o engajamento de mais de 100 agentes federais.

3. Ordenou a mobilização das Forças Integradas de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que congregam as polícias federais e estaduais nas ações de repressão da criminalidade organizada, para colaborarem com os esforços de localização e prisão dos foragidos.

4. Instruiu a Polícia Federal (PF) para que efetuasse o registro dos nomes dos fugitivos no Sistema de Difusão Laranja da Interpol, bem como a sua inclusão no Sistema de Proteção de Fronteiras, para que sejam procurados pela comunidade policial internacional;

5. Mobilizou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para que realize o monitoramento das rodovias sob sua jurisdição e dê suporte à recaptura dos presos.

6. Mandou que fosse realizada uma imediata e abrangente revisão de todos os equipamentos e protocolos de segurança nas cinco penitenciárias federais.

 

CNN Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
slot gacor hari ini
situs slot luar negeri