O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, disse que a implementação do voto impresso “seria um retrocesso, como comprar um videocassete”.

“Meu único incômodo com as urnas é o custo delas. Temos 500 mil, custa R$ 4,7 milhões. A cada eleição temos que trocar 100 mil delas”, afirmou em evento do Fórum Liberdade e Democracia.

A declaração do ministro ocorre dois dias depois de Jair Bolsonaro afirmar em live que vai “mergulhar” na Câmara e no Senado para voltar com o voto impresso nas eleições de 2022.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze − nove =