O vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), acredita que a decisão do presidente Bolsonaro que ampliou e facilitou o acesso da população a armas será barrado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ramos, que foi eleito vice da Câmara na chapa do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), aliado do Palácio do Planalto, afirmou ao blog que não está falando pela instituição. Mas que “tem juízo” e é contra “conteúdo e forma” da decisão de “armar a população”. Lira já disse avaliar que Bolsonaro não invadiu competência do Legislativo ao editar decretos, o que contraria a declaração de Ramos.

Vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), em sessão no plenário em 11 de fevereiro — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), em sessão no plenário em 11 de fevereiro — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Ao blog, Ramos disse que há “um uso da questão do CACs [sigla para colecionadores, atiradores e caçadores] para dissimular o desejo de armar a população”. “O povo não precisa de arma, precisa de vacina”, afirmou.

Na última sexta-feira (12), o presidente da República assinou quatro decretos que modificam atos anteriores editados por ele mesmo, como mostra o vídeo abaixo. A flexibilização no uso e na compra de armas foi uma das principais promessas de campanha do presidente e uma das principais causas defendidas por ele ao longo do mandato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

12 + 16 =