A nova variante Delta é 98% mais transmissível e requer vacinação em massa para que se evite ainda mais mortes pelo vírus da Covid-19 na Paraíba. Essa foi uma das avaliações do infectologista, diretor geral do Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga, Fernando Chagas ao programa Arapuan Verdade, desta segunda-feira (26).

“A gente sofreu com a variante Alpha a P1. Agora no começo do ano, todos presenciaram que chegamos a ter 70 óbitos em 24h, algo nunca antes visto, e essa variante tinha uma transmissibilidade 38% maior que a do ano passado. Já essa variante Delta, que surgiu na Índia, chega a ser 98% mais transmissível do que o vírus inicial do início da pandemia”, alertou.

De acordo com o médico, quanto mais rápido for a ampliação da cobertura vacinal, mais chances de barrar o impacto desse vírus. “A ideia é correr com a aplicação da primeira dose e tentar ampliar para o máximo número de pessoas a cobertura vacinal. Quanto mais gente com essa primeira dose, menor a probabilidade do vírus Delta ter um impacto quando chegar aqui. Se trata de um vírus dos mais transmissíveis, se comparado com os demais”, destacou.

“Se um vírus é muito transmissível, ele vai pegar muito mais gente ao mesmo tempo. De todos esses, o Delta é o que tem maior transmissibilidade. Então aquela mortalidade de 3% acaba tendo um impacto muito maior”, analisou.

De acordo com a Secretaria de Saúde, até o último boletim publicado no último domingo (25), o estado totaliza 8.938 mortes. O boletim registra ainda um total de 291.230 pacientes recuperados da doença, além de 418.377 casos confirmados da doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × dois =