O ex-deputado-federal e ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro Wadih Damous comentou na TV 247 o possível caso de corrupção envolvendo a compra da Covaxin, vacina indiana contra a Covid-19, pelo Ministério da Saúde de Jair Bolsonaro.

Fazendo uma comparação com o governo Fernando Collor, Damous avaliou que o caso da Covaxin pode ser o estopim para a queda de Bolsonaro. “Eu e outro tivemos a mesma ideia: essa vacina Covaxin pode ser o Fiat Elba de Bolsonaro, o famoso episódio do Fiat Elba lá do Collor, que no meio de uma enxurrada de denúncias de corrupção naquela época acabou entrando pelo cano por causa de um Fiat Elba. É claro que guardadas as devidas proporções, porque os preços envolvendo essa vacina são preços astronômicos, e que envolvem vidas de pessoas que Bolsonaro despreza”.

“Isso é explosivo. Tem cara de corrupção, tem corpo de corrupção, tem bigode de corrupção, tem cheiro de corrupção. Então só pode ser corrupção. E, no caso, em formato de prevaricação. O deputado já deu declarações dizendo que esteve no Palácio da Alvorada, onde mora Bolsonaro, levou a documentação mostrando que aquilo era absurdo, o preço unitário astronômico para a vacina, e o depoimento do irmão, que alegou ter sido pressionado por altos escalões do Ministério da Saúde à época para dar parecer favorável à contratação da vacina”, afirmou.

O caso, segundo o ex-parlamentar, pode finalmente destravar a abertura de um processo de impeachment contra o atual chefe do governo federal. “A vacina Covaxin pode ter inoculado em Bolsonaro o vírus do impeachment”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro + 7 =