O republicano Donald Trump insiste no Twitter que venceu as eleições. Nesta 2ª feira (9.nov.2020), enquanto a recontagem é realizada em alguns Estados –como é o caso da Geórgia, que teve recontagem obrigatória por causa da diferença de menos de 0,5 p.p. entre os candidatos–, o presidente postou vários tweets em que insiste em uma virada e reitera alegações, sem evidências, de fraude eleitoral.

“A limiar de identificação das cédulas está se tornando ainda maior do que o previsto originalmente. Um número muito grande de cédulas é impactado. Fiquem ligados!”, disse o presidente nesta 2ª (9.nov.2020). Donald Trump vem tentando desacreditar o sistema eleitoral.

 

No último sábado (7.nov.2020), o republicano divulgou uma nota contestando a vitória do democrata. “Todos nós sabemos por que Joe Biden está se apressando em fingir que é o vencedor e por que seus aliados da mídia estão se esforçando tanto para ajudá-lo: eles não querem que a verdade seja exposta. O simples fato é que esta eleição está longe de terminar”, afirmou.

Trump postou vários tweets nesta 2ª em que alega que será o vencedor em Estados que Joe Biden venceu. “A Geórgia será uma grande vitória presidencial, como foi na noite das eleições!”, afirmou. A Geórgia foi 1 dos Estados em que o republicano liderava na noite das eleições, em 3 de novembro, mas foi ultrapassado pelo democrata.

 

Joe Biden ganhou no Estado por uma margem pequena de votos, de cerca de 7.000. A Geórgia é 1 Estado-chave pois além dos 16 votos no Colégio Eleitoral, quem vencer pode também definir a maioria no Senado.

Além da Geórgia, Trump afirmou que o Estado de Wisconsin “aparenta estar muito bem”, e que “acontecerá em breve”. 

 

O republicano contestou a apuração em Nevada e na Pensilvânia. “Nevada está se tornando uma fossa de Votos Falsos. @mschlapp & @AdamLaxalt estão descobrindo coisas que, quando liberadas, serão absolutamente chocantes!”, disse. O Twitter rotulou o post com 1 aviso de que a alegação de fraude eleitoral é contestada.

 

“A Pensilvânia nos impediu de assistir grande parte da contagem das cédulas. Impensável e ilegal neste país.“, disse. O mesmo rótulo de “alegação de fraude eleitoral contestada” foi aplicado ao post pelo Twitter.

 

Desde a campanha eleitoral, Trump tenta desacreditar o sistema eleitoral e faz alegações não comprovadas de fraudes eleitorais. A equipe do republicano entrou com uma série de processos em vários Estados para contestar a apuração.

O republicano antes mesmo das eleições já disse que entraria na Justiça contra o resultado, caso perdesse. Nesta 2ª, o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, comemorou as vitórias dos republicanos no Congresso e defendeu a recusa do presidente Trump a reconhecer a vitória de Joe Biden, dizendo no plenário do Senado que Trump tem “todo o direito de examinar as alegações e solicitar recontagens”.

A GSA (General Services Administration), agência do governo encarregada de autorizar o início da transição de poder, também ainda não reconheceu a vitória do democrata, e com isso, trava o acesso da equipe de transição a dados e documentos, prédios federais e recursos destinados ao treinamento da nova administração.

 

 

CAMPANHA DE TRUMP FALA À IMPRENSA

Nesta 2ª feira, funcionários da campanha de Donald Trump deram entrevista à imprensa. Afirmaram que os observadores republicanos não tiveram acesso da maneira devida à contagem de votos, como os observadores democratas, e que irregularidades percebidas nas eleições serão levadas à Justiça.

A secretária de Imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, afirmou que “esta eleição não está finalizada“. “Nós apenas iniciamos o processo de obter um processo justo e honesto de contagem de votos. Estamos lutando pelo direito de todos os americanos”. 

McEnany acusou o Partido Democrata de se opor à verificação das identidades dos eleitores, bem como de manterem observadores fora das salas de contagem. “O que a Pensilvânia fez foi criar diferentes regras para favorecer os democratas”, disse.

“Queremos que todos os votos legais sejam contados e que todos os votos ilegais sejam descartados. Ao contrário dos nossos oponentes, não temos nada a esconder”, afirmou também.

Fox News interrompeu a transmissão da coletiva de imprensa. “Ela está acusando o outro lado de fraude e votação ilegal. A menos que tenha detalhes para comprovar, não posso de bom grado continuar a exibir isso”, disse o jornalista Neil Cavuto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

7 + 1 =