Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

247 – Ainda que Jair Bolsonaro (PL) faça todos os esforços para se desvincular da responsabilidade pelo preço dos combustíveis no Brasil, os fatos se encarregam de esclarecer a verdade.

Segundo Lauro Jardim, do jornal O Globo, todos os seis conselheiros da Petrobrás indicados por Bolsonaro, que formam maioria no colegiado de 11 conselheiros, votaram pelo novo reajuste nos preços.

A informação só reforça a culpa de Bolsonaro diante dos preços exorbitantes dos combustíveis. O chefe do Executivo, que tenta driblar o ônus da carestia, não move uma palha para alterar a política de preços da Petrobrás, que atrela o preço dos combustíveis no Brasil ao dólar e ao mercado internacional. O objetivo é seguir favorecendo os acionistas privados da companhia.

A atual política de preços foi implementada por Pedro Parente ainda no governo golpista de Michel Temer (MDB), como conclusão do golpe que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) com o objetivo de transferir a renda dos brasileiros para os acionistas da Petrobrás. Desde então, a fome e a miséria voltaram a assolar o país.

brasil247

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 4 =