Segundo a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor paraibano teve uma receita bruta de aproximadamente R$ 8,85 bilhões, em 2018. O valor foi o 9º menor do país e o 4º mais baixo do Nordeste, maior apenas do que os verificados no Piauí, em Sergipe e Alagoas.

Apesar disso, a participação estadual no total da receita da região apresentou um leve crescimento, passando de 4,5%, em 2009, para 4,7%, em 2018.

Juntos, os serviços profissionais, administrativos e complementares e os de informação e comunicação representaram 50,8% da receita bruta do setor no estado, no ano pesquisado. Outros responsáveis por grandes parcelas foram os serviços prestados às famílias (19,9%) e os de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (18,6%).

Já os salários, retiradas e outras remunerações do segmento, na Paraíba, somaram, em 2018, cerca de R$ 2 bilhões, as principais participações sendo as dos setores de serviços profissionais, administrativos e complementares (39,7%) e de serviços prestados às famílias (20,2%).

A PAS indica também que, em 2009, o setor de serviços pagava cerca de 1,8 salário-mínimo, valor esse que, em 2019, caiu para 1,6 s.m. A mesma retração foi observada na média nacional, que caiu de 2,4 para 2,3 s.m., e na regional, que foi de 1,8 para 1,7 s.m.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + 5 =