Pernambuco abriga o porto público mais estratégico do Nordeste e será reduto de mais dois projetos cruciais sobre hidrogênio verde no Brasil. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) destinará R$ 8 milhões para estruturação do Cluster SUAPE de Inovação Industrial, no Complexo Industrial Portuário de Suape.  Na ocasião da assinatura do convênio, nesta quarta-feira (26), também será lançada a primeira chamada de adesão ao TechHub Hidrogênio Verde, que visa atrair empresas e startups com foco no combustível do futuro.

Um cluster é constituído por empresas que estão ligadas por meio de relações empresariais numa determinada região. O de Suape será coordenado pelo Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), no Recife, e reunirá pesquisadores, engenheiros e consultores do SENAI de Pernambuco, além de empresas e universidades nacionais e internacionais em um mesmo ambiente.

Na avaliação da diretora-regional do SENAI Pernambuco, Camila Barreto, o convênio vai fomentar um importante ambiente de negócios no Complexo Industrial Portuário de Suape, que atualmente abriga 224 empresas. “Estar em Suape é essencial para que possamos cumprir nosso papel de incentivar o fortalecimento da indústria pernambucana. Estamos criando um ambiente real para desenvolver e validar projetos relacionados à tecnologia e à inovação”, afirma.

Cluster terá missão de impulsionar projetos de PD&I

O novo espaço terá a missão de impulsionar programas e projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) para setores como logística, energias renováveis, meio ambiente, aeroespacial e manufatura avançada.

Para isso, o cluster agregará diversas estruturas distintas, a exemplo do TecHub Hidrogênio Verde, centro de testagem de projetos inovadores com foco no combustível do futuro. Lançado em julho deste ano, o TecHub ocupará 1,3 hectare no porto. “O TecHub é o primeiro ambiente de testbeds no país focado na cadeia do Hidrogênio Verde do Brasil com infraestrutura para desenvolvimento de projetos de pesquisa, permitindo testagem e experimentação de tecnologia, produtos e serviços inovadores, simulando situações reais da indústria”, explica o diretor de Inovação e Tecnologia do SENAI Nacional, Jefferson Gomes.

O novo cluster tem por objetivo apoiar e realizar atividades como a instalação de plantas-piloto, pesquisa aplicada, serviços especializados, empreendedorismo, formação de pessoal, além de fomentar o networking entre as indústrias instaladas no complexo e outras instituições. “Essa parceria com o SENAI é fundamental para abrir novas perspectivas de inovação no ecossistema industrial, portuário e socioambiental de Suape. Estamos construindo as bases para avançar tecnologicamente e criar paradigmas para a gestão 5G, equalizando os desafios e impulsionando as oportunidades do território”, ressalta o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Porto de Suape, Carlos Cavalcanti.

TecHub: oportunidade para startups e empresas integrarem um habitat

A primeira chamada de adesão para empresas interessadas em integrar o TecHub Hidrogênio Verde está disponível, a partir de hoje (26) e pode ser feita a qualquer momento, na Plataforma Inovação para a Indústria. A proposta é concentrar em Suape a implementação de projetos inovadores focados na produção, transporte, armazenamento e gestão de hidrogênio verde (H2V) e grafeno.

Pela chamada serão disponíveis duas categorias:

–  Plantas-piloto: construção de ambiente na cadeia de valor do hidrogênio ou grafeno com escala a atender 40 projetos de pesquisa. Com disponibilidade de até 1 mil metros quadrados dentro da estrutura do TecHub H2V. Com prazo de uso de até 120 meses, com possibilidade de renovação.

– Projetos: adesão a projetos existentes ou entrada de novas teses da cadeia de valor do H2 ou grafeno. Com espaço físico para instalação de containers. Prazo de uso do espaço de 12 a 36 meses.

Os Institutos SENAI de Inovação

A fim de ajudar a indústria a inovar e ser mais competitiva, foi criada, em 2013, a rede nacional Institutos SENAI de Inovação é composta, atualmente, existem 27 institutos presentes em 12 estados. Desde que foram criados, os ISIS atenderam mais de 860 empresas e executaram mais de R$ 1,9 bilhão distribuídos em 1.929 projetos de P&D+I com a indústria. A estrutura conta com 1.025 pesquisadores, sendo 48% mestres e doutores.

A rede de Institutos SENAI de Inovação identifica e se organiza para atuar integrada a tendências globais, como mobilidade, saúde, energia, cidades inteligentes, manufatura avançada, bioeconomia e tecnologias da informação e comunicação, evoluindo sintonizada com os interesses mais estratégicos da sociedade e da indústria brasileiras.

Plataforma Inovação para a Indústria

O SENAI também conta com a Plataforma Inovação para a Indústria uma iniciativa para financiar o desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inovadores, com o objetivo de aumentar a produtividade e a competitividade da indústria brasileira, além de promover a otimização da segurança e saúde na indústria. Criada em 2004, a iniciativa já selecionou mais de mil projetos inovadores, nos quais foram investidos mais de R$ 917 milhões.

“A Plataforma Inovação para a Indústria é uma excelente oportunidade para promover a aproximação entre os pequenos negócios e as médias e grandes empresas. O desenvolvimento de pesquisas traz um novo conceito para indústria, além de tornar a cadeia mais inovadora e competitiva”, ressalta o diretor de Educação e Tecnologia da CNI e diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

MaisPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − dez =