SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) – Quase cem países estabeleceram um acordo com o Talibã, grupo extremista que tomou o poder no Afeganistão neste mês, para a saída segura de estrangeiros do país. O Brasil está de fora do documento divulgado neste domingo (29) pelo governo dos Estados Unidos.

Em clima de insegurança desde a chegada do grupo extremista a Cabul, em 15 de agosto, a retirada de civis do Afeganistão tem sido prioridade para vários países, com voos diários. Agora, com o acordo, o Talibã se comprometeu a não impedir a saída de estrangeiros mesmo após a próxima terça (31), quando as tropas norte-americanas pretendem deixar completamente o país.

O UOL procurou o Ministério das Relações Exteriores para saber por que o Brasil não compõe o grupo e o que tem sido feito para garantir a segurança dos brasileiros que ainda estão no país, mas não teve resposta até a última atualização.

Em nota divulgada neste domingo, o Departamento de Estado dos EUA diz ter recebido garantias da segurança dos passageiros e que qualquer cidadão de outro país poderá deixar o Afeganistão livremente.

“Nós todos estamos comprometidos em garantir que nossos cidadãos, trabalhadores, afegãos que trabalharam conosco e estão em risco podem continuar a viajar livremente para fora do Afeganistão”, diz o texto.

A nota é assinada por 97 países de todos os continentes, de Belize à França, dos Estados Unidos a Togo, do Haiti às Ilhas Fiji, mas não pelo Brasil. Isso não quer dizer, no entanto, que os cidadãos brasileiros não estejam contemplados pelo acordo.

Segundo o texto, ainda, o grupo internacional tem “claras expectativas de que o comprometimento do Talibã” e que entendem esta confirmação por parte do grupo.

A nota foi publicada na manhã deste domingo, e ainda não houve posicionamento oficial do Talibã.

Caos em Cabul Desde o dia 15, quando o Talibã tomou a capital, a cidade se tornou um caos. O Aeroporto Internacional de Cabul é o principal ponto de saída para quem quer deixar país -e também um dos locais mais caóticos do Afeganistão.

Neste domingo, um drone das Forças Armadas norte-americanas explodiu um carro-bomba operado pelo Estado Islâmico na capital afegã.

De acordo com o órgão do Departamento de Defesa responsável por operações no Grande Oriente Médio e em parte da Ásia, o carro-bomba seria usado em um atentado na área do aeroporto de Cabul, que já foi atingido por explosões reivindicadas pelo grupo terrorista na quinta-feira (26).

Resgate de brasileiros Na última sexta (27), o Itamaraty anunciou que conseguiu realizar o resgate de um brasileiro e seus familiares do Afeganistão. Eles foram encaminhados para Madri, na Espanha, e ainda não tem previsão de quando retornarão ao Brasil.

Ao UOL, o ministério informou que todos passam bem, e ressaltou que o resgate foi uma ação conjunta com os governos da Alemanha e da Espanha. O brasileiro e seus familiares, que não possuem nacionalidade brasileira, deixaram o Afeganistão em um voo que retirava diplomatas, aliados e militares do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 4 =