Foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (11) mais uma fase da Operação Catarata, que investiga supostos desvios em contratos de assistência social no governo do estado e na Prefeitura do Rio de Janeiro. O secretário de Educação do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, foi preso e a ex-deputada federal Cristiane Brasil, filha do também ex-deputado federal Roberto Jefferson (que não é alvo da operação), está foragida.

Cristiane foi secretária de Envelhecimento Saudável da Prefeitura do Rio e chegou a ser nomeada ministra do Trabalho no governo Temer, mas teve a posse suspensa pelo Supremo Tribunal Federal.

Mais três pessoas foram presas na operação. Pedro Fernandes apresentou um exame positivo de covid-19 e vai ficar em prisão domiciliar.

A primeira etapa da operação, deflagrada em julho de 2019, pela Polícia Civil do RJ e Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu sete pessoas suspeitas de fraudes em licitações da Fundação Estadual Leão XIII, da qual Fernandes foi presidente.

A força-tarefa afirma que o esquema inclui órgãos da Prefeitura do Rio, chefiados por Cristiane Brasil.

Os contratos sob investigação, firmados entre 2013 e 2018, custaram quase R$ 120 milhões aos cofres públicos. O MPRJ afirma que sobre os serviços contratados eram cobradas vantagens indevidas que variaram de 5% a 25% do valor acertado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 1 =