O secretário da Fazenda do Estado, Marialvo Laureano, rechaçou as críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nas quais atribui às alíquotas do ICMS nos estados como a causa do aumento dos combustíveis no país. Durante entrevista à Rádio CPAD FM (96.1), apresentado pelo jornalista Anderson Soares, Marialvo disse que o ICMS não tem muita influência no aumento dos combustíveis na bomba.

Marialvo pontuou que o ICMS sobre combustíveis, no Estado, não aumento há quase sete anos, por isso, é incorreto atribuir o aumento de preços ao imposto estadual. “Existe um equívoco muito grande nessa interpretação. A legislação e a alíquota dos impostos, inclusive, do combustível, não aumenta, na Paraíba, há muito tempo. Acredito que não aumenta há quase seis ou sete anos”, afirmou.

Para ele, a política econômica adotada pela Petrobras é a maior culpada pelos constantes reajustes de preços. Ele ressaltou os lucros exorbitantes da autarquia como um dos principais fatores.

“O problema é a política de preços da Petrobras. A empresa teve o maior lucro no último quadrimestre. Só para o Governo Federal foram distribuídos mais de R$ 15 bilhões. Esta conta somos nos consumidores que estamos pagando. A gente entende que a empresa precisa de lucro, mas não pode ser tudo isso em cima da população”, argumentou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × 3 =