O novo decreto municipal de João Pessoa foi publicado nessa quarta-feira (1º), mas não trouxe uma decisão a respeito das atividades esportivas. A questão ficou para ser abordada posteriormente por meio de notas técnicas, devido, principalmente, ao amistoso da seleção brasileira feminina de futebol, contra a Argentina, que será realizado no dia 18 de setembro, no Almeidão.

O secretário de Saúde da Capital, Fábio Rocha, afirmou que, tanto para o jogo da seleção, quanto para as partidas do Botafogo-PB, pela série C, do Campeonato Brasileiro, é preciso ter um acordo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e não depende apenas da Secretaria de Saúde, porém adianta algumas medidas. “Só vai comprar ingresso e ter acesso ao estádio quem tiver vacinado e não terá lotação acima de 50%”, disse.

Variante Delta

O secretário afirmou que nem o congresso, nem o executivo tem opção de não se vacinar. “O presidente quis que a vacina fosse facultativa, mas imediatamente achamos que a atitude correta é tornar obrigatória. Muita gente diz que não vai se vacinar porque vai virar jacaré, porque vai ter uma dorzinha de cabeça, mas prefere a morte?”, ironizou.

“Temos muita preocupação [com a chegada da variante] e a gente torce para não acontecer outro pico. As pessoas têm que manter o uso da máscara obrigatório”, disse. Sobre a vítima fatal da nova cepa, o secretário foi direto: “O homem veio do Rio de Janeiro, teve a oportunidade de se vacinar lá, não se vacinou, teve a oportunidade aqui e também não o fez, aí se contaminou e morreu”, disse.

Rocha destacou que se surpreende com pessoas da saúde que não se vacinaram. “É como ter 80% de chance de ganhar na loteria, tenho 80% de chance de não pegar covid”, destaca.

A respeito do município de Cabedelo estar aplicando a terceira dose, o secretário de João Pessoa afirmou que acha mais importante vacina quem não tem nenhuma dose primeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 − sete =