Após requerimento do procurador Ailton Benedito, recebeu uma lista com 44 estudos científicos que demonstram a ineficácia no uso de medicamentos para o tratamento precoce da Covid-19, dentre eles a cloroquina.

Em 10 de dezembro, o procurador requereu que a Sociedade Brasileira de Incetologia (SBI) apresentasse cópias dos estudos que embasaram a recomendação contra o uso de hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina e outros medicamentos defendidos pelo governo Bolsonaro, no tratamento precoce da Covid-19.

Um dos estudos clínicos randomizados constatou que indivíduos que receberam hidroxicloroquina (HCQ) demoraram mais tempo para receber alta do hospital (16 dias vs. 13 dias) e menor probabilidade de receberem alta vivos dentro do período de 28 dias após início do tratamento. O grupo de pacientes que recebeu HCQ e não estava em ventilação mecânica no início do estudo teve mais chance de evoluir para necessidade de ventilação mecânica ao longo do estudo. Quatro estudos clínicos randomizados demonstraram que o tratamento com HCQ pode aumentar o risco de eventos adversos, incluindo prolongamento do intervalo QT e arritmias cardíacas“, disse a SBI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

onze + dezoito =