O general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz disse hoje que não se arrepende de ter votado no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas últimas eleições. No entanto, ele afirma que a promessa da campanha “não foi cumprida” e que houve “estelionato eleitoral”.

Não me arrependo de ter votado no Bolsonaro. Naquele momento, era a melhor opção, com a melhor proposta. Mas a promessa não foi cumprida, é o típico caso de estelionato eleitoral, onde você fala e não faz.

Santos Cruz participou do UOL Entrevista, conduzido pelo apresentador Diego Sarza e pelos colunistas Carla Araújo e Josias de Souza. Ele disse ainda que, naquele momento, o governo Bolsonaro era a melhor opção para “encerrar o período de quatro governos onde o PT era o partido central”, mas vê uma “mudança entre a proposta e a execução”.

“Sempre fui honesto, sempre disse aquilo que achava para ajudar a autoridade. Assim como hoje estou fazendo essa crítica aqui. O objetivo é ajudar, é alertar a população. Claro que não tenho pretensão de alertar presidente da República no terceiro ano de mandato”, disse.

Para o general, o governo Bolsonaro foi invadido por “um pequeno grupo de fanáticos que ganhou influência e vem intoxicando o país apostando no fanatismo e que pode levar à violência”.

O general, que atuou como ex-ministro da Secretaria de Governo da gestão Bolsonaro, foi demitido pelo presidente em junho de 2019. Questionado se arrepende-se de ter integrado o governo, ele diz que não.

“Não me arrependo de nada. Fui eleitor do presidente Bolsonaro, fiz a propaganda no ambiente familiar, de amigos, como quase todos aqueles que votaram no Bolsonaro fizeram. Fui eleitor absolutamente normal”, afirmou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × dois =