Bloco Principal 1

Rio de Janeiro registra primeiro caso da Febre de Oropouche; veja causas e sintomas

 

O Rio de Janeiro confirmou nessa quinta-feira (29) o primeiro caso de Febre de Oropouche no Estado. Segundo a Secretaria de Saúde do Rio, o paciente é morador do bairro Humaitá, na Zona Sul da capital fluminense, e não foi internado.

Segundo o boletim médico, o homem de 42 anos é o primeiro morador do estado do Rio de Janeiro diagnosticado com a doença. Ele viajou recentemente para o Amazonas, que enfrenta uma epidemia da Febre de Oropouche. Segundo a Vigilância em Saúde do município do Rio, o paciente segue sob investigação epidemiológica pela equipe de e apresenta boa evolução do quadro clínico.

O que é a Febre de Oropouche

A Febre de Ouropouche é uma doença causada pela picada de mosquitos, principalmente o Culicoides paraensis, conhecido popularmente como maruim.

No Brasil, ela foi diagnosticada pela primeira vez na década de 60, após análise da amostra de sangue de um bicho-preguiça, que parece ser o hospedeiro natural do vírus. Assim como outras doenças propagadas por mosquitos, a Febre de Oropouche se espalha com os insetos picando humanos e outros animais infectados com a doença e depois pessoas saudáveis.

Ela é comum na região Amazônica, tendo casos registrados também outros países das Américas Central e do Sul (Panamá, Argentina, Bolívia, Equador, Peru e Venezuela).

Quais são os sintomas da Febre de Oropouche

Os sintomas da Febre de Oropouche são semelhantes ao da dengue e da chikungunya.

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nas costas e articulações;
  • Náusea ;
  • Diarreia;

Os sintomas costumam durar de dois a sete dias.

Qual o tratamento para a Febre de Oropouche?

Não há tratamento clínico para a doença. A orientação médica é que o paciente fique em repouso e seja acompanhando por especialistas. Remédios específicos podem ser receitados para o alívio dos sintomas.

A febre de Oropouche pode matar?

Seguindo o ministério da Saúde, não há registros de mortes causados pela doença no Brasil.

Há uma epidemia de Febre de Oropouche

  • O Amazonas publicou um alerta epidemiológico em fevereiro desse ano por causa do surto da doença.
  • Foram 1.258 casos confirmados no Estado entre 1ª de janeiro e 15 de fevereiro.
  • O Estado do Pará instituiu em fevereiro um protocolo de vigilância epidemiológica para prevenir a doença.

O caso do Rio de Janeiro foi registrado como um caso importado, já que o paciente esteve recentemente no Amazonas, com o risco de um surto na região sendo considerado baixo.

Como prevenir a Febre de Oropouche

Assim como outras doenças que possuem mosquitos como os principais propagadores, medidas para evitar picadas e a procriação dos insetos são as melhores formar de prevenção.

  • Evite áreas com muitos mosquitos, como regiões de mata, se possível.
  • Use roupas que cubram a maioria do corpo e repelentes em regiões expostas;
  • Mantenha a higiene da casa, evitando criar criadouros de mosquito, como depósitos de água parada e acúmulo de folhas.

Avisar as autoridades caso haja casos confirmados em sua região, para serem tomadas medidas de controle dos mosquitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
slot gacor hari ini
situs slot luar negeri