Era a prova favorita de Rebeca Andrade, mas neste sábado a campeã olímpica ficou sem medalha no Mundial de ginástica artística. A brasileira abriu a final das barras assimétricas de Liverpool, sofreu uma queda e acabou na oitava posição. Depois de conquistar o ouro inédito do individual geral, Rebeca falhou na sua segunda chance de pódio, mas ainda vai disputar duas decisões no domingo: trave e solo.

– Erros acontecem, não sei o que fiz de errado, o que aconteceu. Faz parte. O nível foi bem alto, foi uma ótima competição, são ginastas muito boas, é bom observar, foi legal – disse a ginasta.

sportv 2 transmite ao vivo as finais do Mundial, e o ge acompanha as disputas por medalhas em tempo real neste domingo, a partir das 10h15 (de Brasília).

Se tivesse acertado a série, talvez Rebeca ainda teria ficado fora do pódio de tão forte que foi a decisão. A chinesa Wei Xiaoyuan fez uma apresentação de grande dificuldade (6,6 pontos) e conquistou o bicampeonato mundial, com 14,966 pontos. Vice do individual geral, a americana Shilese Jones levou mais uma prata (14,766). Atual campeã olímpica das barras, a belga Nina Derwael completou o pódio (14,700) – o bronze de Liverpool foi sua quarta medalha em Mundiais.

Rebeca Andrade estava com um collant azul. Sua cor da sorte. Ela parecia muito focada, sempre bem agasalhada para não perder o aquecimento. Só que logo no início da prova, ela perdeu o embalo em uma parada de mãos e não conseguiu evitar a queda. A brasileira respirou e recomeçou sua série, executado com perfeição na segunda tentativa. A nota 12,800 lhe tirou qualquer chance de uma medalha.

Além das duas finais de Rebeca Andrade, o Brasil ainda vai estar em mais duas decisões neste domingo. Caio Souza tenta uma medalha no salto, e Arthur Nory tem a chance do pódio na barra fixa. Flávia Saraiva está classificada para o solo, mas a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) só deve confirmar sua participação horas antes da prova. Ela está em tratamento intensivo do tornozelo direito desde o último domingo, quando lesionou na classificatória do Mundial de Liverpool.

Outras finais do dia

 

Solo masculino
No solo, os anfitriões da Grã-Bretanha faturaram o primeiro ouro neste Mundial. Giarnni Regini-Moran levantou a torcida acertando uma série muito difícil para ficar com 14,533 e o título. Os japoneses Daiki Hashimoto (14,500) e Ryusuke Doi (14,266) completaram o pódio. Campeão mundial de 2019 e favorito ao ouro em Liverpool, o filipino Carlos Yulo sofreu uma queda na primeira acrobacia e acabou em sétimo.

Salto feminino
Sem a campeã olímpica Rebeca Andrade, que falhou no segundo salto da classificatória, as americanas confirmaram o favoritismo e dominaram o topo do pódio. Jade Carey levou o ouro acertando um Cheng (14,733) e um Yurchenko com dupla pirueta (14,300), com média 14,516. Jordan Chiles ficou com a prata (14,350) e a francesa Coline Devillard completou o pódio (14,166).

Cavalo com alças
Bronze no Mundial de 2019, o irlandês Rhys McClenaghan fez uma série bem perto da perfeição. Tirou 15,300 pontos e conquistou o primeiro ouro da história de seu país. A prata também foi uma medalha inédita. Ahmad Abu al Soud conseguiu 14,866 para levar a Jordânia a um pódio inédito. O bronze coube ao armênio Harutyun Merdinyan (14,733), o ginasta mais velho a competir em Liverpool, aos 38 anos.

GE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

19 − onze =