A terceira medalha de Rebeca Andrade em Tóquio 2020, não veio. Um passo deixou a ginasta brasileira fora do pódio nesta segunda-feira (02). Rebeca deu show com Baile de Favela, mas um passo fora do tablado logo na primeira acrobacia foi suficiente para deixar a ginasta em quinto, em uma final de nível elevadíssimo.

Apesar do revés, nada ofusca o brilho da brasileira de 22 anos que levou a prata no individual geral e ouro no salto, um feito inédito para a ginástica nacional.

A nota final de Rebeca foi 14,033, por apenas 0,133 não veio o pódio, mas ela saiu do tablado com sorriso de campeã e comemorou as medalhas recebidas.

Jade Carey, o ouro com 14,366 deu a volta por cima em uma série cravada, consertando os erros anteriores. A veterana Vanessa Ferrari, da Itália ficou com a prata, sua primeira medalha olímpica em quatro participações, alcançando 14,200. Mai Murakami do Japão e Angelina Melnikova, do comitê olímpico russo, alcançaram a terceira posição, com 14,166.

Argolas

Mais cedo o ginasta Arthur Zanetti, campeão olímpico em Londres-2012 e medalhista de prata no Rio-2016, ficou fora do pódio nos Jogos de Tóquio, na final das argolas disputada na Ariake Arena (nota 14.133, 8º colocado). Arthur Zanetti tinha a quinta nota da qualificação (14.900) e arriscou uma saída mais ousada, em triplo (classificada como G no Código de Pontuação e que aumenta sua nota de partida em três décimos), para manter a sua chance de pódio em uma prova de nível técnico muito elevado. Teve uma queda quando aterrisou no solo e o desconto de um ponto. Na classificatória ele não fez o elemento que decidiu juntamente com o treinador Marcos Goto incluir na apresentação final. O pódio teve os chineses Yang Liu (15.500), You Hao (15.300) e o grego Eleftherios Petrounias (14.133).

Foi abraçado pelo técnico Marcos Goto, com quem treina desde os 9 anos. “Como o Marcos fala a gente já fez o nosso papel em 2012. Se a gente fizesse a nossa rotina não ia subir no pódio então fomos para o tudo ou nada aumentando a nota de partida com a saída, muito difícil, de muita precisão. Tentamos, arriscamos e dessa vez não deu certo”, disse Zanetti que quer voltar para casa e rever o filho Liam – se emocionou quando disse que está com saudades do bebê, que vai completar 11 meses dia 13.

Salto

O brasileiro Caio Souza de 27 anos disputou a final do salto de Tóquio, sofreu uma queda no segundo voo e acabou na oitava posição, com média 13,683 pontos. Campeão dos Jogos Pan-Americanos, Caio quase não disputou a final desta segunda. Ele machucou o pé na decisão do individual geral dos Jogos de Tóquio. Ainda não estava 100%, mas decidiu tentar. Fez um bom primeiro salto, mas faltou altura para completar o segundo voo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × cinco =