No dia 09 de junho o Brasil se chocou com uma chacina promovida por Lázaro Barbosa de Sousa. Ele matou quatro pessoas no Distrito Federal, durante a fuga atirou em três pessoas, colocou fogo em uma casa e roubou carros. O status de serial killer veio após a busca por Lázaro revelar outros crime já cometidos pelo suspeito, já são oito dias de buscas que mobilizaram mais de 300 policiais.

Em 9 de junho, ele invadiu uma casa em Ceilândia, área rural do Distrito Federal, matou um homem e os dois filhos e fugiu levando a esposa da vítima, que foi encontrada morta três dias depois em um córrego da região. Depois de matar a família, Lázaro começou a fugir da polícia, aterrorizando moradores da região. Ele invadiu outras casas, cometeu roubos, fez reféns e baleou três homens. Na tarde de domingo (13), Lázaro roubou um carro em Cocalzinho e abandonou o veículo depois de avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia. Na terça-feira (15), um policial militar foi baleado durante o cerco.

Lázaro nasceu em Barra do Mendes, interior da Bahia e tem uma extensa ficha criminal. Ele também é acusado de crimes como roubo, estupro e porte ilegal de arma. Ele responde por homicídio na Bahia; tem um mandado de prisão decorrente de uma condenação por estupro e roubo com arma de fogo em Brasília; além da suspeita de um ataque com golpes de machado na cabeça de idosos em Goiás. Lázaro já foi preso, mas fugiu.

No momento as buscas se concentram em Goiás, de acordo com informações do G1, Lázaro é um caçador que tem intimidade em áreas de mata fechada, o chamado “mateiro”. Ele também tem histórico de abuso de álcool de drogas e as digitais foram encontradas na casa onde ele matou a família no Distrito Federal.

Na Bahia, ele é considerado foragido desde 2007, após ser acusado de um duplo homicídio no município de Barra do Mendes. Ele chegou a ser preso, mas fugiu dez dias depois. Em 2018, Lázaro foi preso em Goiás, mas fugiu do presídio quatro meses depois. Desde então, não foi mais encontrado.

Em abril, ele invadiu uma casa fez a família refém e estuprou uma mulher. Em maio, entrou em outra chácara e fez mais uma família refém. Cruel e sádico, fez as vítimas ficarem nuas e as mulheres da casa foram obrigadas a servi-lo. A polícia ainda busca saber se outros crimes sem autoria cometidos na região também possam ter ligação com Lázaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × um =