Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

O Ministério da Saúde irá liberar a dose de reforço da vacina contra Covid para pessoas com 18 anos ou mais. A aplicação da nova injeção será realizada cinco meses após o esquema vacinal básico para todos os adultos.

A decisão foi anunciada em entrevista coletiva no Ministério da Saúde nesta terça-feira (16) pelo ministro Marcelo Queiroga.

“Graças às informações que temos dos estudos científicos, nós decidimos ampliar a dose de reforço para todos acima de 18 anos que tenham tomado a segunda dose há mais de cinco meses”, disse Marcelo Queiroga.

Desde o fim de setembro, o Ministério da Saúde indica a aplicação da dose de reforço em pessoas acima de 60 anos, além de integrantes de grupos de risco, como pacientes em quimioterapia, com imunodeficiência, pessoas que vivem com HIV/Aids, entre outros casos.

Para esse público, as doses eram aplicadas após seis meses do ciclo vacinal completo, ou seja, depois da segunda aplicação das vacinas da Pfizer, Coronavac e AstraZeneca ou após uma aplicação do modelo da Janssen, que é administrado em dose única.

Com a mudança anunciada nesta terça, o intervalo será reduzido para cinco meses apos o ciclo básico.

As diretrizes do Ministério da Saúde sobre a campanha de vacinação servem para orientar estados e municípios, mas não há uma obrigação de seguir o governo federal. Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e alguns municípios já anteciparam a mudança e reduziram de seis para cinco meses o intervalo para aplicar a dose de reforço.

“Com isso, vamos ter uma cobertura maior da população e evitar o que tem acontecido na Europa”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A Alemanha, por exemplo, cogita voltar ao regime de home office, enquanto a Holanda se tornou na sexta-feira (12) o primeiro país da Europa Ocidental a retomar medidas mais rígidas de isolamento social por causa da Covid.

O Brasil tem 58,9% da população com o primeiro ciclo vacinal completo. Cerca de 75,7% da população recebeu ao menos uma dose. Os dados são do consórcio formado pelos veículos Folha, Uol, O Estado de S. Paulo, Extra, o Globo e G1.

Segundo o site Our World in Data, vinculado à Universidade de Oxford, na Inglaterra, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos no percentual de vacinados contra Covid.

A informação foi compartilhada numa rede social pelo cientista Eric Topol, cardiologista, fundador e diretor do Scripps Research Translational Institute, e professor de Medicina Molecular no Scripps Research Institute. De acordo com ele, o Brasil se uniu a outros 55 países que superaram os índices americanos.

ParlamentoPB com Folha de S. Paulo

 

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 + doze =