Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Durante a sua participação no Poccast, na noite da última quarta-feira (23), Priscilla Alcântara se pronunciou sobre a polêmica envolvendo Bruna Karla.

A cantora gospel, recentemente, contou que se recusou a cantar no casamento de amigo por conta da orientação sexual dele. Nas redes sociais, os internautas acabaram revivendo essa fala e virou motivo de grandes discussões.

“É muito triste, é podre. É errado em muitos níveis. Cara, toda vez que eu for abrir a boca, a minha preocupação não deve ser emitir a minha opinião. Primeiro que opinião não foi feita para ser dada, ela foi feita para ter. Você só dá a sua quando te pedem”, pontuou a artista, enquanto conversava com Lucas Guedez e Rafa Uccman.

Posteriormente, a apresentadora fez questão de ressaltar a falta de empatia na fala de Bruna Karla. “Quando você vai falar, você tem que fazer o exercício de sempre pensar em como a sua fala vai atingir o próximo. O que eu acredito é que eu tenho que ter cuidado em como as coisas que eu falo vai refletir em sua vida”, acrescentou Priscilla Alcântara.

“Jesus fala: ‘novo testamento vos dou. Ame os próximos assim como eu te amei. Eu não vivo minha fé dessa forma: ‘enquanto eu adoro a Deus, eu mato alguém’. Não existe isso, não reflete o Deus que eu acredito”, concluiu.

Entenda a polêmica envolvendo Bruna Karla

Tudo aconteceu depois que a web reativou falas da evangélica gravadas em participação ao Positivamente Podcast em dezembro de 2021.

Na gravação, a famosa faz uma série de declarações consideradas homofóbicas a respeito do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Durante a conversa com Karina Bacchi, Karla declarou que só iria ao casamento de um amigo gay caso ele estivesse se casando com uma mulher.

“Teve um amigo que me perguntou: ‘Bruna, quando eu me casar você vai no meu casamento?’ e eu olhei para ele, fui bem sincera e disse: ‘Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim’”, disparou a cantora gospel.

A artista ainda explicou: “Estou falando de um amigo, homossexual, que a gente tem essa liberdade, e eu falei que o dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a bíblia e sobre Jesus”, completou a artista.

Na conversa, ela ainda se posicionou em relação à teologia inclusiva, abraçada por agrupamentos que se identificam como “igrejas LGBT”.

“Eu sou completamente contra essas igrejas. Me perguntaram um dia se eu iria cantar, eu falei ‘não vou, não canto, não vou compactuar com algo que está completamente fora dos princípios’. O que o Senhor tem para cada um de nós é uma vida transformada”, pontuou Karla.

 

rd1

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 − quatro =