Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Há apenas um ano no poder, o primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, anunciou nesta segunda-feira (20) que vai renunciar ao cargo, dissolver o Parlamento e convocar novas eleições no país, a 5ª em apenas três anos.

Bennett foi eleito em 2021 graças a uma aliança de oito partidos israelenses que deu fim a meses de impasse na escolha do primeiro-ministro do país. Seu chanceler, Yair Lapid, assumirá a função interinamente até as eleições para eleger um novo chefe de governo, o que deverá acontecer em outubro, segundo o governo.

O anúncio representa a ruína da aliança que se uniu para eleger Bennett mas da qual o premiê não tem conseguido consenso no Knesset — como é chamado o Parlamento israelense —, o que, na prática, tem impedido seu governo de aprovar medidas.

A dissolução do Knesset deve acontecer “nos próximos dias”, segundo anunciou o Executivo israelense.

As novas eleições podem permitir ainda a volta ao poder do ex-primeiro-ministro e atual líder da oposição Benjamin Netanyahu, que comandou o país por 12 anos, até o ano passado. Netanyahu deixou o país sob protestos de radicalismo e denunciado por corrupção, o que ele nega.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 + oito =