Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

A Justiça concedeu liberdade ao cantor Iverson de Souza Araújo, conhecido por DJ Ivis, na tarde desta sexta-feira (22). Desde julho, o paraibano está detido na unidade prisional Irmã Imelda Lima Pontes.

DJ Ivis é investigado por lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar contra a ex-esposa Pamella Holanda.

Segundo o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), a decisão foi da Vara Única de Eusébio. O alvará de soltura ainda não foi expedido.

Diário do Nordeste solicitou detalhes sobre a soltura à defesa de DJ Ivis, como qual será a medida cautelar que substituirá a prisão, e aguarda respostas para atualizar esta matéria.

Caso ganhou repercussão nacional após vídeos das agressões cometidas por ele contra Pamella serem divulgados nas redes sociais.

O paraibano foi preso no dia 14 de julho de 2021, em um condomínio de luxo localizado no município de Aquiraz – na Região Metropolitana de Fortaleza. A captura ocorreu por força de um mandado de prisão preventiva representado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia Metropolitana do Eusébio (DME), unidade responsável por investigar o fato.

A prisão de DJ Ivis foi tomada com base na garantia da ordem pública, declarou o secretário da Segurança Pública do Ceará, em 15 de julho. A captura ocorreu por força de um mandado de prisão preventiva representado pela Polícia Civil.

Em quatro vídeos gravados pelo circuito interno de câmeras do apartamento do casal, o paraibano aparece no apartamento, na sala e no quarto do bebê, agredindo a companheira. Em um dos arquivos divulgados, um homem assiste à agressão, mas não interfere.

Em outro momento, a agressão acontece na presença da babá e da filha do casal. Pamela ainda publicou imagens de ferimentos na boca.

Na época, DJ Ivis tentou explicar como os conflitos começaram. “Isso era uma guerra de quinta-feira (8) para cá, onde foi chamada uma viatura para minha casa. Pois eu estava sendo acusado de lesão corporal, que eu estava correndo no condomínio com uma faca na mão. Isso tenho como provar que não tava”.

Ministro negou liberdade

Em setembro deste ano, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter a prisão preventiva de DJ Ivis. A decisão foi proferida após a defesa do acusado de violência doméstica e ameaça recorrer ao STF do que o colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) já havia se manifestado.

Os advogados do paraibano alegavam que não havia nenhum elemento indiciário que permitisse concluir previamente que o DJ fosse descumprir medidas protetivas para resguardar a integridade psicofísica de Pamella Holanda.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × cinco =