Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Parabéns ao Ministro do STF Luís Roberto Barroso, por determinar a obrigatoriedade do passaporte vacinal contra Covid-19 para todo viajante que vier do exterior para o Brasil. Temos que proteger os brasileiros. Decisão acertada do Ministro.

Por meio de vídeo publicado nas redes sociais, Sergio Moro, ex-ministro e pré-candidato à presidência pelo Podemos, classificou a exigência feita por Barroso como “correta” e disse que é necessário reciprocidade com relação às medidas sanitárias impostas por outros países.

“Estou no aeroporto embarcando para o exterior e foi exigido de mim o comprovante de vacinação contra o vírus, além do teste negativo. Os países lá fora estão exigindo dos brasileiros essa comprovação. É reciprocidade e uma forma de proteger os brasileiros contra as novas variantes da Covid-19”, afirmou.

A deputada federal e ex-aliada do governo Joice Hasselmann (PSDB-SP) classificou a decisão como “acertada”.

A mesma opinião teve o líder da minoria na Câmara, Marcelo Freixo (PSB-RJ). “Decisão correta diante da omissão irresponsável do governo Bolsonaro, que não tem compromisso com a proteção da vida dos brasileiros”, escreveu.

Parabéns ao ministro Barroso, que determinou a exigência do comprovante de vacinação para quem quiser entrar em nosso país. Decisão correta diante da omissão irresponsável do governo Bolsonaro, que não tem compromisso com a proteção da vida dos brasileiros.

— Marcelo Freixo (@MarceloFreixo) December 11, 2021

Pelas redes sociais, o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire (PE), afirmou que “Barroso mostra ao presidente Jair Bolsonaro (PL-RJ) que o Brasil não é terra de ninguém” e “nem quintal de miliciano”.

“Pode por sigilo de 100 anos sobre o seu comprovante de vacina, inventar farsa de ataque hacker ao ConecteSUS, mas, pra entrar aqui, vai ter de ter passaporte vacinal sim. Brasil respeita a vida”, escreveu o parlamentar.

Governo não queria passaporte vacinal

Na última terça-feira (07), o governo Bolsonaro anunciou que iria impor quarentena de cinco dias e teste RT-PCR a viajantes não vacinados que quisessem entrar no Brasil. Já o comprovante de vacinação não seria exigido dos viajantes.

Nós queremos ser, sim, o paraíso do turismo mundial (…) Essa questão da vacinação, como realcei, tem dado certo porque nós respeitamos as liberdades individuais. O presidente falou agora há pouco: ‘às vezes, é melhor perder a vida do que perder a liberdade”, declarou o ministro da saúde Marcelo Queiroga na terça-feira.

Em conversa recente com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente, Jair Bolsonaro afirmou que “jamais” exigiria o passaporte da vacina da covid-19 para estrangeiros.

Em sua decisão, Barroso também estabeleceu exceções. Segundo o ministro, o viajante que chegar ao Brasil poderá ser dispensado de apresentar comprovante de vacinação por “motivos médicos”, por razões humanitárias ou caso o país do visitante não conte com vacinas disponíveis.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − 15 =