A Polícia Federal deu inicio nesta sexta-feira (10), ao cumprimento de mandatos de busca e apreensão em uma operação que investiga Irregularidades em contratos de entidades ligadas ao sistema S e empresas. A operação Sierra busca documentos e arquivos digitais relacionados ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e ao Instituto Osvaldo Lodi.

De acordo com as investigações, o IEL fez contratos de prestação de serviços com empresas que pertencem a um dirigente do Sistema S, o que é proibido por lei. As empresas beneficiadas, segundo a PF, receberam R$ 3 milhões. A polícia diz ainda que as irregularidades foram cometidas no Distrito Federal, e os mandados de busca (quatro ao todo) são para Brasília e para o Rio de Janeiro.

Os possíveis crimes cometidos, de acordo com a PF, são: furto qualificado, falsidade documental e associação criminosa. Somados, podem chegar a penas de 16 anos de cadeia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete + 16 =