Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Duas operações foram deflagradas pela Polícia Civil e a Energisa no mês de outubro no município de São Bento e no distrito de Tataíra, na Paraíba. As ações tiveram como objetivo combater furtos de energia elétrica.

De acordo com a investigação, uma rede clandestina em transformadores forneciam energia para 5 chácaras e uma bomba d’água. Além disso foram constatadas irregularidades na rede elétrica de mais 7 bombas usadas para fornecimento de água e para criatório de peixe, além de desvios de energia em fábrica de gelo, pizzaria e residências.

O desvio total é de cerca de 1,8 milhões de quilowatt-hora de energia no valor de R$ 1,7 milhões de reais, suficiente para abastecer 2 mil unidades consumidoras por um mês. Desse montante, R$ 518 mil reais foram arrecadados em imposto, que poderão ser destinados a projetos sociais pelo governo.

Realizadas em parceria com a Polícia Civil e o Instituto de Polícia Científica (IPC), as ações de combate às ligações irregulares de energia são uma das prioridades da concessionária para manter, principalmente, a qualidade no fornecimento de energia. Até o final deste ano, a Energisa na Paraíba terá investido mais de R$ 22 milhões nessa frente.

“Os furtos oneram a população, prejudicam o fornecimento, a arrecadação de impostos e a receita da empresa, comprometendo os investimentos na melhoria dos serviços. Precisamos combater o furto e a população tem um papel fundamental nisso, denunciando esses crimes”, complementa. Outro fator de atenção é o risco à segurança da população: as ligações clandestinas ou irregulares, em sua maioria, são feitas por pessoas sem conhecimento técnico, que utilizam materiais inadequados e, muitas vezes, ocasionam em riscos de rompimento de cabos e/ou acidentes como choque elétrico.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte − 3 =