Com menos de dois anos de funcionamento no Brasil, o Pix já é o principal meio de pagamento utilizado pelos clientes de pequenos negócios na Paraíba. É o que revela a pesquisa inédita ‘Pulso dos Pequenos Negócios’, realizada pelo Sebrae em todos os estados do Brasil, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em sua primeira edição, a pesquisa foi realizada entre os meses de agosto e setembro, com a participação de microempreendedores individuais (MEI) e de donos de microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP). De acordo com os números, na Paraíba, onde foram entrevistados 55 empresários, 37% deles afirmaram que o Pix é a principal forma de pagamento utilizada atualmente por seus clientes.

Ainda de acordo com a pesquisa, o segundo meio de pagamento mais utilizado pelos consumidores de micro e pequenas empresas é o cartão de crédito, indicado por 30% dos empreendedores entrevistados. Em seguida, aparecem o pagamento em dinheiro, apontado por 13% dos participantes da pesquisa, e o cartão de débito, que contabilizou apenas 2% das respostas. Já 17% dos entrevistados paraibanos indicaram outros meios de pagamento como os mais utilizados por seus clientes.

Ao avaliar os dados, a analista técnica do Sebrae/PB, Márcia Timótheo, ressaltou que o crescimento do Pix na preferência dos consumidores, em um curto espaço de tempo, está relacionado não apenas aos custos, como também ao fato de existirem benefícios tanto para o cliente quanto para as empresas. “Um fator que faz o Pix ser bastante utilizado é que ele traz inúmeras vantagens. É mais rápido, barato, seguro, prático e simples”, explicou Timótheo.

Ainda conforme a analista, a ferramenta pode trazer benefícios para as micro e pequenas empresas. “Os pequenos negócios podem receber com Pix de diferentes formas, usando as chaves, QR Code ou com o Pix Copia e Cola. Além disso, para as empresas, o custo de aceitação é menor que dos demais meios e os recursos ficam disponíveis de imediato, o que pode diminuir a necessidade de crédito, incentivar a automatização e facilitar a conciliação de crédito”, acrescentou Márcia Timótheo.

Sobre o Pix

Criado pelo Banco Central, o Pix é um meio de pagamento instantâneo, cujas transações podem ser realizadas em qualquer horário ou dia da semana. A modalidade de pagamento passou a funcionar em novembro de 2020 e pode ser utilizada por pessoas físicas e jurídicas, para ações como transferir e receber valores, pagar contas, fazer compras na internet e até mesmo pagar impostos, como os do Simples Nacional, que é voltado aos pequenos negócios. Segundo estimativas do Banco Central, em julho deste ano já existiam mais de 478 milhões de chaves do Pix ativas, criadas pelos mais de 131 milhões de usuários cadastrados para utilizar o serviço no Brasil.

PORTALCORREIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quinze − onze =