Os pequenos negócios foram responsáveis por gerar, do período de janeiro a setembro deste ano, o número de 17.375 vagas de trabalho no mercado paraibano com carteira assinada. O saldo positivo consta em um levantamento de dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) na Paraíba, a partir de informações coletadas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

  • O número de oportunidades criadas corresponde ao percentual acima de 80% de todos os empregos do período, considerando o total de 21.373 novos postos.

Conforme os dados, as médias e grandes empresas (MGE) registraram no mesmo período 3.265 vagas e a administração pública teve saldo de 699 vagas.

Considerando a atuação das micro e pequenas empresas (MPE), o crescimento foi impulsionado pelo setor de serviços, que apresentou 7.805 oportunidades, seguido da construção (4.415), comércio (2.778), indústria e transformação (1.857) e agropecuária (287).  O levantamento destaca ainda, o crescimento do segmento, pelo nono mês consecutivo.

De acordo com o analista técnico do Sebrae/PB, Antônio Neto, o crescimento na geração de novas oportunidades observado ao longo do ano no mercado paraibano é um indicador positivo para o cenário da economia. “Demonstra que o processo de geração de emprego tem se tornado consistente, em especial para as MPEs que vem apresentando resultados consistentes ao longo do ano”, destacou.

Ainda conforme o analista do Sebrae/PB, o desempenho observado na geração de novas oportunidades a partir da atuação dos pequenos negócios no estado segue a mesma tendência daquilo que se identifica no cenário nacional.

“A expectativa para o cenário nacional e estadual é positiva e demonstra que o processo de geração de emprego tem se tornado consistente, em especial para as MPEs que vêm apresentando resultados consistentes ao longo do ano. As MPEs são responsáveis pela geração de 71,2% do saldo de empregos em nível nacional, já aqui na Paraíba observamos que 81,3% desse saldo vêm das MPEs o que destaca ainda mais a relevância desse modelo de negócio para o estado”, concluiu Antônio Neto.

 

PORTALCORREIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × 1 =