A denúncia de quatro vítimas levou à prisão de um pastor de 38 anos, acusado de abusar sexual de mulheres que frequentavam seu culto, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

De acordo com a delegada Cristiane Angelini, da Delegacia Especializada em Combate à Violência Sexual, o pastor escolhia suas vítimas entre as fiéis que passavam por momentos de dificuldade familiar e financeira.

Foto: Divulgação/PCMG

A primeira denúncia, que deu início às investigações, é de 2018. Após a primeira denúncia, outras mulheres procuram a delegacia para registrar ocorrência contra o pastor.

De acordo com a delegada, as vítimas eram convidadas a realizar orações em um ambiente reservado, onde ele pedia que elas chupassem seu dedo polegar, simulando sexo oral. Ele dizia que isso afastaria entidades maléficas, e também as abraçava por trás, esfregando seus órgãos genitais nas mulheres.

Um das mulheres chegou a confrontá-lo, mas ele a ameaçou dizendo que tinha amigos perigosos e influentes na cidade.

Segundo a delegada Cristiane, o pastor tem 490 mil seguidores em sua rede social e é considerado um religioso de referência nos círculos religiosos de Belo Horizonte. “O pastor usa de sua influência, credibilidade e fama para conseguir satisfazer sua lascívia de modo obscuro e fraudulento”, afirmou a delegada.

O pastor já está preso e deve responder por crime de violação sexual mediante fraude, cuja pena varia de dois a seis anos de prisão – metro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 − três =