Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

A dona de casa Mirna Dias de Almeida Cruz, de 50 anos, embarcou na Rodoviária de Goiânia em um assento diferente do que comprou por causa de tonéis de sêmen de boi. O filho dela denunciou que a empresa de ônibus colocou o carregamento nos assentos de leito e remanejou os passageiros para as poltronas comuns, deixando os clientes indignados.

Filho dela, o estudante Wedher Valeriano, de 23 anos, denunciou nas redes sociais o que aconteceu com a mãe na capital goiana na noite da última quarta-feira (27), quando ela embarcava em direção a Palmas – uma viagem que dura cerca de 12 horas -, depois de velar e enterrar o pai.

O g1 tentou contato com a empresa responsável por e-mail às 7h41 e por telefone entre 8h15 e 8h45, mas não recebeu retorno da companhia com um posicionamento sobre o ocorrido.

A reportagem também entrou em contato com a Rodoviária de Goiânia que respondeu que está se informando sobre o episódio para poder se posicionar.

Segundo ele, a confusão começou na hora do embarque, quando os passageiros viram os tonéis sendo colocados nos leitos que haviam comprado e chamaram uma responsável da empresa.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 − sete =