Parentes e amigos realizaram um ato neste domingo (23) na Avenida Paulista, no Centro de São Paulo, em homenagem às vítimas da Covid-19. Centenas de corações acompanhados de mensagens foram desenhados em um painel memorial de 20 metros de comprimento.

A ação foi proposta pela Associação de Vítimas e Familiares de Vítimas da Covid-19 (Avico) e pelo projeto de produção audiovisual “Eles poderiam estar vivos”. A iniciativa contou também com o apoio da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e das Organizações Indígenas da Região Sudeste do Brasil (Arpin-Sudeste) e indígenas das etnias terena e guarani estiveram presentes.

O ato teve críticas à condução do governo Bolsonaro da crise de saúde pública durante a pandemia.

“Não podemos esquecer que enquanto chorávamos a perda das nossas pessoas mais amadas – eu, por exemplo, perdi minha mãe -, o presidente zombava de quem estava morrendo com falta de ar porque não havia respiradores suficientes para atender a todos os internados, duvidava da ciência, espalhava informações falsas, incentivava a aglomeração de pessoas e desaconselhava o uso de máscara”, diz Paola Falceta, presidente da Avico.

“Sabemos que o Brasil não passaria incólume à pandemia, mas se tivéssemos um plano de combate sério, certamente muitas vidas seriam poupadas. E isso não é uma opinião, os fatos comprovam.”

G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 − 3 =