A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou, no sábado (20), a 20ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba (PNNPB), que passa a vigorar nos 223 municípios paraibanos a partir desta segunda-feira (22). A análise aponta que 7% (15) dos municípios paraibanos estão em bandeira vermelha, a maior participação percentual desta classificação em todas as avaliações. 92% (205) municípios figuram em bandeira laranja; apenas 3 municípios da Paraíba encontram-se na bandeira amarela e nenhum em bandeira verde.

A avaliação apresenta 1% dos municípios da Paraíba em bandeira amarela, o que configura uma redução expressiva em relação à 19ª avaliação, que detinha a menor participação desta bandeira desde o início dos ciclos avaliativos do PNNPB, em junho de 2020. Ao todo, três municípios tiveram transição da bandeira amarela para a bandeira laranja e outros dois transitaram da bandeira laranja para a bandeira amarela. A bandeira verde teve sua participação mantida em 0% dos municípios paraibanos, marca observada apenas no 2º estudo do plano.

A avaliação é realizada a cada 15 dias e tem como base de indicadores a quantidade de casos de Covid-19, a mortalidade, o índice de adesão ao isolamento social e a ocupação de leitos hospitalares. A divisão por cores norteia as atividades quem podem ser realizadas em determinado município, sendo verde a indicação de mobilidade livre e o vermelho de mobilidade impedida.  As avaliações e orientações estão disponíveis em https://paraiba.pb.gov.br/diretas/saude/coronavirus/novonormalpb

De acordo com o secretário executivo de saúde do Estado, Daniel Beltrammi, a literatura científica internacional aponta que os reflexos da adoção de comportamentos de alto risco, como o abandono do uso de máscaras e a ocorrência de atividades com grandes aglomerações, majoritariamente entre a população das faixas etárias de 19 a 59 anos afetam os indicadores utilizados pelo Plano Novo Normal no prazo de uma semana. “Os esforços para que se contenham as evoluções da situação pandêmica para pior devem ser mantidos e dependem da decisão de cada uma das pessoas em seguir protegendo suas vidas por meio dos métodos e comportamentos reconhecidamente efetivos para conter a disseminação do novo coronavírus”, enfatiza Beltrammi.

Na tentativa de frear a cadeia de transmissão do vírus, o Governo do Estado adotou medidas por meio do Decreto 41.086 de 09/03/2021, que passou a vigorar entre os dias 11/03/2021 e 26/03/2021. As iniciativas são dedicadas a atenuar os riscos oriundos da rápida deterioração do cenário epidemiológico da pandemia na Paraíba mostram-se de extrema importância sanitária e social, posto que o crescimento rápido e expressivo do número de casos.

Já são mais de 140 leitos ativados nos últimos dias, que receberão ainda maior reforço com a ativação de mais 147, nos próximos 15 dias, totalizando 287 leitos ativos para a Covid-19. Entre estes 287 novos leitos ativos estão 78 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 161 de enfermaria e 48 unidades de decisão clínica. “Apesar dos esforços, é preciso lembrar à população de que nenhum leito hospitalar novo substitui em importância as medidas de proteção à vida. Os profissionais de saúde estão exaustos, uma vez que atuam na linha de frente há mais de 12 meses”, reforça o secretário executivo.

Dentro do esforço do Estado para combater a disseminação do vírus, está a vacinação contra a covid-19. A Paraíba entra em uma nova fase ampliando o público prioritário para idosos entre 65 e 69 anos e ainda dispõe de 72% das doses necessárias para vacinar os profissionais de saúde paraibanos, porém o secretário destaca que a vacinação não é um passe livre para circulação e descuido da prevenção. “Uma vez vacinada, a população deve continuar seguindo rigorosamente as recomendações quanto à proteção individual e coletiva, que evitarão a disseminação do novo coronavírus para as pessoas que ainda não foram vacinadas, uma vez que o vírus ainda pode ser transportado por pessoas que receberam o imunizante”, finaliza o Beltrammi.

A análise crítica desta 21ª avaliação do Plano Novo Normal mantém e ratifica a recomendação de máxima atenção dos gestores e autoridades sanitárias municipais no sentido de garantir o monitoramento efetivo dos indivíduos com sintomas gripais relacionados à covid-19. Lembrando que em situação de convívio domiciliar, portadores assintomáticos ou sintomáticos leves infectados pelo Novo Coronavírus podem contaminar até 5 outras pessoas, o que justifica este monitoramento próximo e ostensivo pelas equipes da Equipes de Saúde da Família.

Além da ampliação dos leitos e da vacinação, está em atividade ainda a “Operação Previna-se”, um esforço conjunto das forças de segurança pública, Procons e vigilâncias sanitárias, para que se possam ampliar as medidas de fiscalização e acompanhamento das medidas propostas pelo Decreto, já sendo realizadas mais de 150 de ações em todo estado, com especial destaque para os municípios paraibanos em bandeiras laranjas e vermelhas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

20 − 19 =