A Paraíba confirmou, nesta terça-feira (31), a primeira morte no estado após infecção pela variante Delta do coronavírus. Trata-se de um homem de 42 anos, sem comorbidades e sem histórico vacinal, recém chegado do Rio de Janeiro e residente do município de João Pessoa. Os familiares não apresentaram sintomas.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), outros 24 casos de amostras referentes à julho também confirmaram a variante Delta no sequenciamento genético, todos com evolução para cura.

 

As cidades que registraram contaminação pela variante são: Alagoa Nova (3), Barra de Santana (2), Cabedelo (1), Campina Grande (9), Cruz do Espírito Santo (1), João Pessoa (2), Lagoa Seca (1), Massaranduba (1), Matinhas (1), Queimadas (2), Salgado de São Felix (1) e Taperoá (1).

A data de sintomas do primeiro caso é do dia 15 de julho, gênero masculino, 23 anos, residente do município de Campina Grande, sem histórico de viagem ou contato com caso confirmado para a Delta.

Há também, entre as confirmações, 03 casos em idosos com esquema vacinal completo, sendo 2 deles com esquemas concluído com o imunizante Coronavac e um Astrazeneca. Das amostras sequenciadas, 22 apresentaram um quadro gripal leve e 3 casos graves, com história de internação.

A cepa preocupa autoridades sanitárias no mundo inteiro pela alta taxa de transmissibilidade e pela maior probabilidade de atacar o sistema imunológico, responsável pelas defesas do organismo.

Segundo o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, a chegada da Delta na Paraíba já era prevista em razão da expansão da cepa em todo o território brasileiro. Para o médico, é imprescindível que a população continue a se proteger com o uso de máscaras, distanciamento social, higienização constante das mãos com água e sabão e álcool em gel, além, claro, da vacinação completa contra o coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × 1 =