A Paraíba já registra 11 variantes da Covid-19 e é o 4º estado com maior número de linhagens identificadas no Brasil. De acordo com informações obtidas pelo ClickPB, a Paraíba é o segundo do Nordeste com identificação da linhagem P.1. Até o dia 5 de fevereiro, 11 linhagens foram identificadas em circulação pelo território, sendo o quarto com maior número de linhagens, atrás apenas de São Paulo (26), Rio Grande do Sul (12) e Rio de Janeiro (16).

Em entrevista ao ClickPB, o secretário executivo de Gestão de Unidades de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, reforça que é fundamental o entendimento de que os cuidados já adotados como isolamento social, uso de máscara, álcool e a vacinação são obrigatórios para a contenção da pandemia.

“Há uma preocupação e a recomendação da OMS é que todas as vacinas apresentam capacidade de resposta contra o coronavírus e suas variantes. O Brasil conta com uma vacina de vírus atenuado inativado. Ela entrega o vírus inteiro para nosso sistema imune aprender a se defender contra ele. Essa vacinação é uma aposta muito importante para esse tempo de mutação”, alertou.

De acordo com o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, em dezembro a secretaria recebeu da Fiocruz-RJ os resultados dos sequenciamentos que apresentaram a circulação de diversas linhagens do vírus, sendo as principais linhagens a B.1.1.33 e B1.1.28. Também foi identificada a circulação da variante portadora da mutação E484K na proteína Spike em três amostras do estado, sendo uma delas a 2ª amostra do caso confirmado de reinfecção. Essa nova linhagem foi classificada como B.1.1.28 (E484K) ou P2.

“Em janeiro recebemos mais resultados de sequenciamento que demonstraram o avanço da linhagem P2 no Estado da Paraíba, bem como a linhagem P1, recentemente identificada como variante amazônica. Estudos sugerem que tanto a linhagem P1 quanto a linhagem P2 tem maior capacidade de transmissão entre infectados. A identificação de circulação de novas linhagens no território da Paraíba é de extrema importância para possibilitar a tomada de decisões rápidas no enfrentamento da pandemia”, destacou.

Ainda segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado, três pessoas já foram identificadas com a mutação do vírus que é ainda mais agressivo por ter uma alta carga viral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

18 − doze =