A ministra Laurita Vaz, relatora da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça (STJ), não enxergou motivos para livrar Coriolano Coutinho, irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, da prisão.

O investigado foi preso no fim do ano passado após descumprir medidas cautelares e teve a prisão renovada em uma nova fase da Calvário deflagrada em fevereiro.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), também rejeitou o pedido da defesa e manteve a prisão de Coutinho.

Ao recursar liberdade para Coriolano, a ministra Laurita Vaz lembrou que “as medidas cautelares foram violadas pelo réu, sem qualquer indício de problema no dispositivo de monitoramento eletrônico” e que “não há constrangimento ilegal a ser reparado”. Com MaisPB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 − 1 =