Eu não sou médico, mas vou prescrever o remédio que pode tirar o Brasil do atoleiro em que se meteu: a “amputação”! Sim, a “amputação”! Vamos tirar nossos braços, o esquerdo e o direto, de modo que não saibamos mais identificar o que é esquerda e o que é direita. Nossos corpos serão o cérebro ( a razão), o coração, (a emoção), a alma (a espiritualidade) e as penas pra nos levar a um lugar seguro. Esse novo ser, sem saber o que é esquerda ou direita, concentrará todas as suas energias na manutenção e conservação da vida, não importando se branco ou preto, se rico ou pobre, se devoto ou ateu. Deus, zela por todos! E assim, sem lado, nós brasileiros vamos nos unir em torno do óbvio, em torno da vida.

Vamos nos livrar da desgraça da polarização, que vem levando à burrice uma fatia impressionante da sociedade. Eu mesmo estou chocado. Nunca vi tantos ruminantes; de um lado e do outro. Daí a imperiosa necessidade da “amputação” . Seremos mais sábios assim. Vamos olhar só pra frente; não haverá desvios. E a economia? O que tem a economia? Ora, só existe economia com vida humana. As zebras não sabem o que é inflação. Portanto, o óbvio, todos os esforços devem convergir para o cuidado com as pessoas. Sem elas não há economia, não há nada! Será que é tão difícil assim de entender? O mundo inteiro vem adotando medidas restritivas, até mesmo o controverso lockdown. Pergunto: vc acha que algum governante sente prazer em adotar essas medidas? É claro que não! Vamos nos unir; já são quase 280 mil mortos. Há muito sofrimento. De um modo geral todos nós estamos pagando um alto preço, mas aqueles que perdem a vida perdem tudo e deixam um rastro de dor e desolação. Não ha mais remédio. Nada mais pode ser feito. Só chorar!

Texto extraido das redes sociais de Ronaldo Cunha Lima Filho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro + 4 =