Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

Depois de oficializar a união em um cartório, no Distrito Federal, a fonoaudióloga Julia Bittencourt sonhava com a festa de casamento, que já tinha data marcada: 19 de dezembro de 2021. Mas, às vésperas da comemoração, ela conta que foi abandonada e traída pelo companheiro.

Depois do impacto, Júlia decidiu se apressar para conseguir o divórcio e comemorar o “livramento”, como os amigos enxergam a separação, já que o noivo fugiu para a Bahia com outra mulher, grávida.

O evento contou com um bolo de ganache de chocolate. No meio, a ex-noiva pediu para deixar um espaço, para que os bonecos que imitam os casais não ficassem no topo, mas separados um do outro. Padrinhos e familiares foram convidados para a festa.

“Tá, eu levei no humor, porque sou assim. Riso solto e coração enorme. Essa é minha essência e por incrível que pareça, nada mudou. Comemorar é preciso. Encerrar é preciso. Ponto final”, postou Julia em uma rede social.

‘Alívio, abandono, solidão e tristeza’

Júlia contou ao G1 que estava tudo certo para a festa de casamento para 200 convidados. Espaço, decoração, buffet e DJ custaram R$ 70 mil.

Ao todo, foram 4 anos de relacionamento. Com a pandemia do novo coronavírus, o ex ficou desempregado e ela passou a arcar com todas as despesas, inclusive com a reforma da casa, em Taguatinga, onde o casal iria morar.

Mas em setembro, faltando três meses para a festa, Júlia conta que passou um dia inteiro tentando ligar para o noivo, sem sucesso. Ela, então, decidiu ir até a casa que estavam reformando.

Chegando lá, não tinha nada do que havia sido comprado para começar a “nova vida a dois”. Segundo a fonoaudióloga, em um dia, o ex levou todos os móveis.

“A única coisa que restou foi uma máquina de lavar que estou rifando”, diz Júlia.
Em seguida, ela recebeu a notícia de um amigo que o noivo tinha ido embora para a Bahia (BA), onde foi criado. E mais: ele chegou lá acompanhado de uma outra mulher, que estava grávida dele.

Recomeçar

Passado o trauma, Júlia tenta recomeçar a vida. Primeiro, ela diz que quer pagar todas as dívidas que fez, por causa do casamento.

A fonoaudióloga diz que preferiu não registrar boletim de ocorrência na polícia, por causa do sumiço dos móveis da casa, para não ter mais contato com o ex. As passagens de lua de mel, ela conseguiu trocar e decidiu viajar para a praia, em Vila Velha (ES).

O desafio é reduzir os prejuízos com a festa de casamento, marcada para dezembro. Ela explica que, se cancelar o evento, terá que pagar 50% do valor total. Por isso, ela tenta vender a festa para quem tiver interesse na data.

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito + 10 =