O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), é figurinha carimbada na sessão de alertas nos Diários Oficiais do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). Dessa vez, o conselheiro André Carlo Torres Pontes alertou Bruno para corrigir nepotismo, o acúmulo ilegal de cargos na gestão e outros itens.

O caso de nepotismo em voga é referente ao fato do diretor-técnico do Hospital Municipal Dom Pedro I, Tito Lívio, ser cunhado de Bruno Cunha Lima. O acúmulo ilegal de cargos, citado no extrato do Diário Oficial, é por parte do secretário-adjunto de Saúde do município, Gilney Porto. Além de exercer o cargo na prefeitura, Gilney acumula função na Ebserh, empresa que administra o Hospital Universitário de CG.

O conselheiro relata, ainda, dentre outros pontos, a falta de servidores para atender as necessidades das unidades de atenção à saúde de média e alta complexidade, além do elevado número de servidores temporários vinculados ao Fundo Municipal de Saúde.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × 3 =