Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

“Moro é a terceira via mais bem colocada até o momento. Ele consegue atrair quem odeia Bolsonaro e quem odeia Lula. O ex-juiz tem potencial de chegar a 30% dos votos, o que pode cacifa-ló como a melhor alternativa. Mas tudo depende do número de candidatos disponíveis”, explicou Nunes, em entrevista ao Blog nesta segunda-feira (1º/11). Atualmente, existem, pelo menos, 10 prováveis candidatos para disputar votos com Lula e Bolsonaro. “Com esse alto número de concorrentes, é muito difícil que qualquer nome desponte para ir ao segundo turno no lugar de Lula e Bolsonaro”, acrescentou.

A Quaest é responsável pelas pesquisas divulgadas pela Genial Investimentos. Na mais recente, apontou que 54% dos entrevistados não acreditam que o Auxílio Brasil, programa do governo que pretende substituir o Bolsa Família, não deve dar votos a Bolsonaro. A próxima edição da pesquisa da instituição que trata dos cenários para as eleições de 2022 será divulgada no próximo dia 10.

No levantamento anterior, divulgado em outubro, a avaliação negativa do presidente Jair Bolsonaro chegou a 53%, acima dos 48% registrados anteriormente. Já a fatia que considera a gestão do presidente positiva caiu de 26% para 24% na mesma base de comparação, refletindo que a percepção dos brasileiros de que a economia só piorou aumentou, o que poderá ser um problema para Bolsonaro quando subir nos palanques no ano que vem e pedir voto dos brasileiros.

O jornal britânico Financial Times revelou que o presidente brasileiro é “incapaz”. Bolsonaro liderava o ranking de rejeições, com 65% dos entrevistados afirmando que não votariam nele. Em segundo lugar, ficou João Dória Jr., com 61%. Sergio Moro fica em terceiro lugar nessa lista, com 59% de rejeição, seguido por Ciro Gomes (PDT), com 54%.

Na avaliação do cientista político, outro nome vem sendo cogitado para concorrer em 2022, o do presidente do Senado e do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ainda tem um caminho longo para frente se realmente for candidato.”Pacheco pode ter a vantagem de unificar Minas Gerais, mas sofre do mesmo problema que os outros: a concorrência é grande”, explicou Nunes. Na pesquisa de outubro, Pacheco tinha 39% de rejeição enquanto Lula, ficou com 43%. A menor rejeição ficou com o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), de 20%.

Vale lembrar que Pacheco saiu do DEM e filiou-se ao PSD de Gilberto Kassab, um dos piores prefeitos de São Paulo e dono de uma das maiores legendas no Congresso.

Sergio Moro desembarcou hoje no Brasil vindo dos Estados Unidos para oficializar a candidatura para 2022. A filiação de Moro ao Podemos está marcada para o próximo dia 10, em cerimônia no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília.

O ex-juiz deixou o governo Bolsonaro em abril do ano passado criticando interferências do presidente na Polícia Federal. Ele estava morando em Washington há um ano. A expectativa é que, na próxima quarta-feira (3/11), Moro venha para Brasília. Um dos compromissos previstos na agenda, mais ainda não confirmado oficialmente, é uma reunião com líderes União Brasil, legenda que será criada após a fusão do DEM com o PSL. “Ele tem conversado com muita gente”, disse um interlocutor do ex-ministro.

 

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × 3 =