O ministro da economia, Paulo Guedes, admitiu nesta sexta-feira que o governo estuda medidas para reduzir o impacto da pandemia para empresas e trabalhadores e, com isso, auxiliar a economia num dos piores momentos da pandemia.

Questionado pela CNN se as mesmas medidas adotadas em 2020 serão repetidas diante de um cenário agravado pela COVID-19, Guedes disse que “tem mais coisa vindo aí”. E afirmou que o governo deve antecipar o pagamento do 13º salário “dos mais pobres” e também dos idosos, o que deve ocorrer após a aprovação do orçamento, prevista para acontecer no fim deste mês.“

O abono salarial já foi antecipado. Agora, assim que aprovar o orçamento, vai ser antecipado o 13º justamente dos mais frágeis, dos mais idosos, como fizemos da outra vez. O BEM, que é o programa de preservação de empregos, já estão sendo disparadas as novas bases. Então, tem mais coisa vindo por aí”, declarou o chefe da pasta econômica.

De acordo com apuração do analista da CNN, Igor Gadelha, outras medidas estão em estudo, entre elas, a permissão para que empresas adiem o depósito do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) na conta de seus funcionários. Em 2020, a Medida Provisória (MP) 927 permitiu que empresários suspendessem o depósito do FGTS por três meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 + quinze =