Indo de encontro ao que propõe a cartilha com determinações estabelecidas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) antes de assumir o mandato, o ministro Marcelo Queiroga deu carona à familiares e políticos em agendas oficiais – cujos voos são realizados pela Força Aérea Brasileira (FAB).

A informação foi publicada pela Folha de São Paulo com base em registros da Lei de Acesso à Informação. Além da esposa e filhos, o ministro permitiu acesso em aeronaves por autoridades em ao menos 20 voos. Entre os presentes, estava a esposa de Queiroga – a médica Simone Queiroga. Ela acompanhou o esposo em ao menos 11 viagens.  Em duas ocasiões o destino foi João Pessoa, onde o casal tem residência.

Segundo as orientações do presidente, apenas o ministro e a equipe envoldida na agenda podem embarcar em viagens oficiais.

Em resposta, o ministério da Saúde disse que o Queiroga tem liberdade para preencher vagas ociosas nas aerovanes.

“Outros três filhos do ministro também estiveram em 8 voos diferentes. O advogado Marcelo Antônio Cartaxo Filho, por exemplo, voou ao lado do pai, no mesmo dia, de Brasília para São Paulo, depois ao Rio e retornou à capital federal”, informa um techo da publicação.

Outros nomes que embarcaram sob escopo de Queiroga são: o senador Fernando Bezerra Coelho e a esposa, Adriana de Souza Leão Coelho. A médica Sarita Pessoa – esposa do ministro Gilson Machado (Turismo), tambpem teriam participado de viagens em avioões da FAB.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × dois =