O ministro da Justiça, Anderson Torres, provocou um “climão” ao aparecer repentinamente em uma reunião sobre os preparativos para a posse do presidente eleito Lula, na manhã da quinta-feira (17/11), no Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal.

Segundo relatos, membros da equipe de transição de Lula estavam reunidos com o secretário da Casa Civil do DF, Gustavo do Vale Rocha, quando Torres entrou na sala para cumprimentar o secretário. De imediato, auxiliares do presidente eleito silenciaram até que o ministro deixasse o local.

Rocha foi escalado pelo governador reeleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), como o interlocutor do governo local com a equipe de transição de Lula para as tratativas da posse do presidente eleito, prevista para a tarde do dia 1º de janeiro de 2023.

Bastante ligado a Bolsonaro, Torres, por sua vez, foi criticado por aliados de Lula durante a eleição, em razão dos bloqueios feitos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no dia do segundo turno, sobretudo no Nordeste, região onde o petista teve maior votação.

O ministro, como noticiou a coluna, já acertou com Ibaneis Rochaseu retorno ao cargo de secretário da Segurança Pública do DF. A aposta é de que Torres deve voltar ao posto já em dezembro, antes mesmo do término do mandato do presidente Jair Bolsonaro.

METRÓPOLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 + quinze =