O voto da ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi o terceiro em favor da manutenção do uso da tornozeleira eletrônica por Coriolano Coutinho, irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, ambos investigados o âmbito da Operação Calvário.

O habeas corpus emitido pela defesa de Coriolano, que pede o afastamento, em definitivo, das medidas cautelares diversas da prisão impostas ao agravante  já foi rejeitado também pelo ministro Gilmar Mendes

Como a decisão da maioria foi em desfavor de Coriolano, mesmo ainda faltando votar os ministros Nunes Marques e Ricardo Lewandowiski, o STF deve decretar a permanência da tornozeleira eletrônica.

O irmão do ex-governador da Paraíba foi preso no dia 17 de dezembro de 2019. Ele é investigado por supostamente integrar uma organização criminosa que teria desviado R$134,2 milhões destinados aos serviços de Saúde e Educação do Estado da Paraíba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze − nove =