Daniel Silveira segue recebendo reembolso da Câmara por gastos com combustível, táxi e pedágio, mesmo estando preso, antes em regime fechado e, agora, em domiciliar.

Desde março, mês seguinte à sua prisão, Silveira recebeu R$ 19,7 mil de reembolso por meio da cota parlamentar.

Ao todo, o deputado registrou R$ 18,6 mil com despesas de combustível, R$ 1,1 com táxi, pedágio e estacionamento.

Algumas notas mostram a compra de centenas de litros. Em 26 de março, por exemplo, foram comprados 551 litros de gasolina comum, num total de R$ 3.421.

À coluna a assessoria do deputado afirmou que os gastos correspondem ao cumprimento de agendas de assessores do parlamentar dentro do estado do Rio de Janeiro.

Pelas regras da Câmara, a cota parlamentar pode ser usada por funcionários dos congressistas. As notas, no entanto, constam no nome do próprio Silveira.

Em julho, o MPF entrou com ação de improbidade administrativa contra Silveira pelo uso da cota parlamentar para pagar suposta consultoria legislativa, serviço que não foi comprovado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − 11 =