Uma semana após o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciar um recuo de 0,1% no Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre deste ano, a estimativa do mercado para o crescimento da economia brasileira foi revisada para baixo pela quarta vez seguida, em um movimento de queda de 5,22% para 5,15%.

Para 2022, a projeção para a expansão do PIB seguiu o mesmo caminho de redução e caiu de 2,00% para 1,93%.

As previsões constam no Boletim Focus, do Banco Central (BC), divulgado nesta segunda-feira (6). O relatório aponta as estimativas do mercado para os principais indicadores econômicos do país.

Inflação

 

inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi em um movimento contrário e subiu de 7,27% para 7,58%, na 22ª revisão consecutiva para cima. Para 2022, a estimativa avançou mais uma vez, de 3,95% para 3,98%.

meta de inflação a ser perseguida pelo Banco Central é de 3,75% neste ano e de 3,50% em 2022, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic

 

Em relação à taxa básica de juros da economia, a Selica expectativa subiu de 7,50% para 7,63% no final de 2021. Para 2022, a projeção também acelerou, saindo de 7,50% para 7,75%.

Na última reunião, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa em 1 ponto percentual, de 4,25% para 5,25% ao ano, e indicou que outras altas estão por vir até que o juro alcance o patamar acima do neutro.

Dólar

 

A mediana das previsões para o dólar no fim do ano subiu de R$ 5,15 para R$ 5,17. Para o finl de 2022, a estimativa se manteve em R$ 5,20 entre o intervalo de uma semana e outra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + cinco =