Bloco Principal 1

Mauro Cid lamentou não achar fraude nas urnas eletrônicas, mesmo com ajuda de hacker e especialistas, mostram mensagens

Mensagens trocadas pelo tenente-coronel Mauro Cid, então ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), mostram frustração por não encontrar provas irrefutáveis que apontassem possíveis fraudes no sistema eletrônico de votação.

Em uma conversa por aplicativo de mensagem, Cid relatou que já tinha recebido hacker, pessoas da área de TI (tecnologia da informação) e “muita denúncia”, mas que nada tinha sido capaz de levar a alguma investigação sobre o funcionamento das urnas.

“É complicado. E vou dizer: 99,9% das coisas, até agora, você consegue refutar”, disse o militar em uma das mensagens acessadas pela Polícia Federal (PF).

“Eu sou um dos mais interessados de encontrar alguma coisa, é… bala de prata para poder tocar à frente. O presidente também. É por isso a gente tá ouvindo todo mundo. Mas todo mundo. Inclusive tudo isso que você me mandou já, já tinha chegado por outros meios. E duas, três pessoas trazendo a mesma informação. É muita coisa, mas é muita coisa”.

As mensagens foram obtidas pela PF em investigação sobre suposta tentativa de golpe de Estado. Na conversa, feita em 3 de novembro de 2022, Cid enviou áudios fazendo relatos sobre as tentativas de desacreditar as urnas eletrônicas ao tenente-coronel Hélio Ferreira Lima.

“Não, eu sei cara. A gente tá recebendo cara de TI, hacker. Cara, tem que ver o que a gente já montou aqui cara. É tudo. Assim, se esse hacker mostrar quem foi, por onde entrou e como entrou, pronto! Aí a gente tá ganho o jogo. Mas só que ninguém consegue mostrar isso”, disse Mauro Cid.

“É muita denúncia. Não é pouca coisa não, é muita. É matemático, estatístico, PhD. Mas ninguém ainda chegou com uma coisa que fale, que consiga abrir uma investigação, entendeu? É complicado”, completou o ex-ajudante de ordens.

As conversas constam em representação da PF ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O magistrado autorizou, nesta quinta-feira (8), uma operação contra Bolsonaro, aliados e militares que teriam atuado num plano para tentar um golpe de Estado.

A operação teve como base a delação de Mauro Cid.

Fonte: CNN Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
slot gacor hari ini
situs slot luar negeri