A mãe e o padrasto de Ketyli Kawane Borges de Sousa, de 3 anos, foram julgados e condenados nesta terça-feira (3) pela morte da criança, na cidade de Patos, Sertão da Paraíba, em outubro de 2020.

Geraldo Júnior dos Santos foi condenado a 35 anos de prisão pelo crime de estupro e homicídio doloso. Já Géssica Borges de Sousa foi condenada por omissão pelos crimes de homicídio doloso e estupro, porém, recebeu clemência pelo crime de estupro e foi condenada há 20 anos de reclusão. A decisão foi dada pelo Tribunal do Júri da Comarca de Patos, no auditório das Faculdades Integradas de Patos.

Ketyli Kawane Borges de Sousa foi morta com socos, chutes na barriga e jogada contra a parede várias vezes, vindo à óbito no dia 5 de outubro de 2020 na Rua Pedro Moura, no bairro Sete Casas, em Patos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

7 − 5 =