A farmacêutica Merck anunciou nesta sexta-feira (1º) que pedirá permissão para o primeiro antiviral comprimido contra o coronavírus. Segundo a companhia, testes com o medicamento chamado molnupiravir indicaram redução em 50% das chances de morte ou hospitalização nos casos em que foi utilizado no início da doença. As informações foram divulgadas pelo jornal The New York Times.

Em nota, a farmacêutica informou que, a partir das descobertas, pretende iniciar o quanto antes o pedido de liberação à Food and Drug Administration (FDA), a agência de vigilância sanitária dos Estados Unidos, e na sequência fazer procedimento semelhante aos órgãos responsáveis ​​nos demais países.

Se aprovado, o medicamento pode se tornar o primeiro antiviral com capacidade elevada de combate ao avanço da pandemia de covid-19. De acordo com a farmacêutica, the tests indicaram that the molnupiravir also is eficaz contra as variantes delta, gama and mu.

A Merck disse ainda que trabalha para que o produto possa ser fornecido globalmente. Para isso, afirmou já ter celebrado acordos com fabricantes de medicamentos genéricos de forma a, aprovado pelas agências regulatórias, o produto poder ser fornecido em mais de cem países de baixa e média renda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte − 4 =