A lava do vulcão da ilha espanhola de La Palma que cai no mar já ganhou terreno à água e formou um terreno de mais de 10 hectares de superfície, informou nesta quinta-feira (30) o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias.

“A estimativa é que já ultrapasse 10 hectares”, disse o porta-voz da Instituto, David Calvo, à AFP. Ele especificou que a instituição fará uma medição mais precisa com drones nas próximas horas.

O fluxo de lava do vulcão Cumbre Vieja, que está em erupção há onze dias, finalmente atingiu o mar na noite da última terça para quarta-feira após viajar cerca de 6 km devastando tudo em seu caminho.

Desde aquele momento, com o vulcão expelindo material sem parar, a cascata de lava não para de entrar no oceano Atlântico, por isso o delta que se forma está em constante crescimento.

“Os rios de lava continuam descendo pelo canal lávico em direção ao mar (…), estamos em uma fase de estabilidade”, detalhou David Calvo.

A lava atingiu o mar sem produzir, no momento, os efeitos mais temidos, como explosões ou ondas de água fervente, embora gases potencialmente tóxicos sejam liberados como resultado da reação do contato da lava, a mais de mil graus, com a água salgada.

Nesta quinta-feira ainda há uma coluna de gás, semelhante ao que aconteceu ontem, embora o vento, que no dia anterior ajudou a dissipar rapidamente o gás, tenha diminuído.

O Cabildo de La Palma, o governo local da ilha, mantém os bairros de Tazacorte, município onde a lava atingiu o mar, confinados desde segunda-feira, para evitar possíveis efeitos dos gases.

“A erupção afetou cerca de 476 hectares desta ilha, que tem uma área de cerca de 70.000 hectares, e destruiu um total de 744 construções”, afirmou o Cabildo de la Palma no Twitter.

Além disso, a erupção obrigou 6 mil pessoas a abandonarem suas casas na ilha de 85 mil habitantes, que também foi significativamente afetada pelo cultivo de bananas, sua principal atividade econômica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × dois =